Problemas emocionais, hormônios desregulados e estilo de vida são fatores que atingem o intestino

Vivemos em um período de incertezas que leva à ansiedade, estresse, dificuldades com o sono e compulsão alimentar. Neste sentido, procuramos uma resposta para isso e, na maioria das vezes, a alternativa de alguns profissionais de saúde é simplesmente olhar para a queixa pontualmente. Mas será que existem formas mais integrativas de se avaliar o paciente? O intestino é um órgão multiespecializado e as suas funções vão desde a digestão e absorção de alimentos ao controle da imunidade, controle do colesterol no sangue, equilíbrio do açúcar e saúde mental.

Estatisticamente, um grupo de indivíduos que sofre de problemas relacionados a este órgão são as mulheres. Isso ocorre por fatores hormonais, alimentares, baixa hidratação e sedentarismo. Muitas vezes consideramos que temos uma boa saúde intestinal, porque vamos todos os dias ao banheiro, o que seria muito limitado sabendo que este órgão vai além disso.

Devemos lembrar que lá são produzidos hormônios relacionados ao bem-estar, estresse, sono e concentração. Temos, por exemplo, a serotonina (alegria), melatonina (sono) e dopamina (concentração). Logo, com frequência a mulher está estressada, com baixa qualidade no sono e irritada. Tal condição certamente sugere comprometimento da saúde intestinal. Outros sinais e sintomas são: o ganho de peso, espinhas na pele, rinite alérgica, gases excessivos, candidíase e infecção urinária de repetição.

Um dos principais tipos de bactérias da microbiota intestinal é o L. Acidophilus, que também está presente na flora vaginal da mulher e, por isso, uma queda nesta quantidade de bactérias pode levar a candidíase crônica. Algo que desregula bastante a saúde intestinal é o uso de antibióticos. Também temos alimentos contaminados com metais pesados, pouca fibra, pouca ingesta hídrica. Para uma boa saúde do seu intestino é necessário o uso de probióticos (bactérias do bem) e prebióticos (as fibras). Baseado em evidências, a suplementação, os probióticos e prebióticos podem melhorar casos de infecção urinária de repetição hipercolesterolemia, prevenir o ganho de peso e diminuir casos de ansiedade. Oriento também ingesta de água adequada, dieta pobre em açúcares refinados e exercício físico.

Seja a sua melhor versão