Fonte: Canva

Eu sempre gosto de trazer assuntos que falam de vida e menos da doença. Já sabemos que o exercício físico de forma regular e bem orientada pelo Profissional de Educação Física é essencial para a boa saúde. Em tempo de pandemia do coronavírus ainda é mais essencial, pois, estimula o sistema imunológico, aumenta a resistência orgânica, além da redução do estresse e da ansiedade.

A irisina é um hormônio normalmente produzido de forma endógena durante o exercício físico contínuo. Ela é conhecida principalmente pela função de modificação metabólica do tecido adiposo branco – que armazena lipídios, triglicerídeos, acumula gordura e pode vir a inflamar. Esse processo favorece o gasto de energia, tornando a irisina um agente endógeno terapêutico para doenças metabólicas, como a obesidade. Além disso, o hormônio tem propriedades antiinflamatórias. 

A irisina realiza fenômeno que contribui com o aumento da termogênese e do gasto calórico diário, auxiliando na perda de peso e controle da obesidade. As pesquisas com hormônio irisina começaram em 2012, relacionadas ao emagrecimento e à prática de atividade física. Porém, novos estudos evidenciaram que o hormônio também tem efeito positivo para proteção do cérebro e nos casos de infecção pelo coronavírus. Portanto, vamos incluir a prática de atividades físicas além de uma alimentação equilibrada em sua rotina, para melhorar a saúde de forma geral. 

Artigo originalmente publicado https://www.folhape.com.br/colunistas/saude-e-bem-estar/irisina-hormonio-liberado-durante-a-atividade-fisica-tem-acao-no-gasto-calorico-e-emagrecimento/23353/

×

Olá!

Selecione uma de nossas representantes ou envie um email para contato@rafaelcoelho.med.br

× Marque sua consulta